TRABALHO SÉRIO DE SELEÇÃO -


Trabalho Sério de Seleção - Aninais Registrados e com Dados Genéticos

O papel das tecnologias disponíveis para o melhoramento genético e modernas práticas agronômicas em um mundo de mudanças determinaram grandes avanços no setor do agronegócio com incrementos lineares na produção global de alimentos (Tester & Langridge, 2010), resultado da maior eficiência e kg/há. Todavia, para atender a demanda crescente de alimentos é necessário, principalmente na pecuária, aumentar mais a eficiência produtiva dentro das propriedades, pois ainda há muito a se fazer. Para termos o máximo de retorno econômico devemos buscar verdadeiras máquinas produtivas de carne e de terneiros, pois animais que não respondem bem a um manejo alimentar e sanitário correto e matrizes sub-férteis ou com pouca habilidade materna não compensam os atuais altos custos de produção.

         Uma das ferramentas para alcançar mais ganhos é o melhoramento genético que objetiva melhorar os índices de produtividade e a qualidade dos animais em sintonia com o sistema de produção e exigências do mercado. Para isso, várias características de importância econômicas são mensuradas nos animais e, em concordância com a metodologia de cada programa, esses resultados são expressos em valores genéticos, ou melhor, em DEP (Diferença Esperada na Progênie), que é uma medida da diferença entre o desempenho médio dos filhos de um dado touro e o desempenho médio dos filhos de um grupo de touros referência, quando acasalados com fêmeas geneticamente semelhantes.

O pensamento atual é aliar o olho do criador a essa ferramenta de seleção genética e assim eleger animais com alto valor genético, mas equilibrados fenotipicamente, levando a uma melhoria gradual e cumulativa na eficiência produtiva e reprodutiva dentro da propriedade. O fenótipo do animal (o que enxergamos) é um resultado que depende do genótipo do animal (que não enxergamos), para qual pai e mãe contribuem igualmente no momento da fecundação; do ambiente no qual o animal é criado e da interação genótipo x ambiente, que representa as expressões dos genótipos quando expostos a diferentes condições. Os estimadores para esses valores conseguem isolar os efeitos não genéticos, como exemplos, o ambiente e manejo diferenciado, que pode enganar o olho do selecionador, pois condições diferenciadas entre grupos pode mascarar a realidade. Assim, temos o desempenho real do animal sendo identificando e a capacidade de transmitir isso a sua progênie. À medida que mais informações do animal são incluídas, como de seus filhos, a acurácia desse valor genético vai aumentando.

A escolha dos melhores indivíduos para serem pais das futuras gerações parece ser um processo simples, mas ao se escolher busca-se o individuo como um todo com uma série de características, algumas bem complexas de serem avaliadas quantitativamente. Assim, o conceito de melhor é complexo, pois além dessas características todas ainda é preciso cuidado atenção à adaptabilidade e funcionalidade dos animais, considerando o sistema produtivo onde ficarão.

Toda a fêmea e macho registrado passa até o inicio de sua vida reprodutiva por pelo menos duas avaliação de um técnico credenciado. Em algumas raças com o Hereford e Braford, a fêmea tem que estar prenha para receber o registro definitivo e o macho é exigido o exame andrológico.

Quando se compra um reprodutor ou matriz com registro genealógico e dados genéticos, está se adquirindo um pacote tecnológico onde há um trabalho sério de vários profissionais capacitados que acompanham o olho do proprietário. O nosso intuito aqui é destacar as principais fases desse trabalho que muitas vezes passa despercebido por quem adquire um animal registrado e com dados genéticos.

Em algumas raças com o Hereford e Braford, a fêmea tem que estar prenha para receber o registro definitivo e o macho é exigido o exame andrológico. No período do acasalamento, como rotina se identifica quais fêmeas permanecerão para serem acasaladas e quais os melhores touros para realizar esse acasalamento. No momento dessa seleção, aliado a avaliação visual, o fato de ter um relatório genético que prediz o valor genético de cada animal do rebanho auxilia bastante a buscar de acordo com seus objetivos de seleção. Os critérios para eleger os touros pais são de grande importância, existindo diversos catálogos de centrais de genética e sumários de programas com dados precisos que auxiliam o produtor. Ressaltamos aqui a questão da importância do uso de animais adaptados ao nosso sistema de produção, ou seja, genética nacional. Muitas vezes observamos produtores escolherem genética estrangeira de Países com clima rigoroso, onde a maior parte do ano neva ou de Países com rebanhos muito menores que o nosso onde a pressão de seleção é bem menor que o nosso que tem grande pecuária extensiva.

Após o nascimento dos produtos começa a fase de seleção e avaliações com fins ao registro genealógico e para o programa de avaliação genética respectivamente, sendo ambos realizados por técnico capacitado. Nessa fase temos o primeiro crivo, a seleção de acordo com critérios raciais, descartando aqueles que não se enquadram nos padrões (mudei a posição dessa frase/estava depois da frase seguinte). A avaliação genética começa especificamente no desmame e, uma segunda avaliação ocorre no pós desmame, onde serão feitas as coletas de desempenho desses produtos e as avaliações visuais. Momento também ideal para avaliar as mães quanto à habilidade materna e a capacidade de desmamar bons produtos. Todas essas informações visam padronizar os biotipos, identificar os indivíduos geneticamente superiores em relação ao seu grupo contemporâneo e a capacidade de transmitir a sua progênie essa superioridade.

Para facilitar a rápida identificação de uma DEP boa ou ruim foi introduzido no melhoramento genético o uso das classes de percentil ou deca. O percentil ordena o animal em relação a seu grupo, ou seja, quanto menor o percentil mais bem colocado está o animal. Como exemplo, animal top 1% para ganho a desmama significa que ele é um dos 1% melhores da população para aquela característica.

 

Outro indicativo de que o trabalho de melhoramento genético está sendo bem conduzido dentro da propriedade é o gráfico que representa o progresso genético do rebanho no decorrer dos anos para cada característica selecionada. Abaixo um exemplo da tendência genética positiva para ganho de peso pós desmame de todas as Fazendas do relatório de 2017 do Programa de Avaliação Genética PampaPlus.

 

Finalmente, para o reprodutor estar apto deve passa por mais um crivo técnico, a seleção no momento de receber o registro definitivo e a marca a fogo da associação de raça, quando então está pronto para ser comercializado. Alguns touros na avaliação final recebem um mérito genético por serem destaque dos relatórios genético na sua geração, a dupla marca, que ainda depende do aval do inspetor técnico da raça.

Seja o primeiro a avaliar!


Adicionar aos favoritos

22 ago 2018


Por Thais Maria Bento Pires Lopa
Anuncie